Nasce o bebê gerado em útero tranplantado!

Bebê gerado em útero transplantado de doadora morta nasce no HC de São Paulo

Segundo a Secretaria Estadual da Saúde, este é o primeiro caso do tipo em todo o mundo. Mamãe e bebê passam bem.

Um bebê que foi gerado em útero transplantado de uma doadora que já tinha morrido nasceu na sexta-feira (15), no Hospital das Clínicas (HC) de São Paulo. Segundo a Secretaria Estadual da Saúde, o procedimento é pioneiro em todo o mundo. Mãe e bebê passam bem.

transplante

transplante

A mãe, de 33 anos, tem síndrome de Rokitanski e, por isso, nasceu sem o útero. Ela não quis que seu nome fosse divulgado. O órgão foi retirado de uma doadora que teve morte cerebral. A cirurgia ocorreu em setembro do ano passado. Os médicos religaram todas as veias e artérias, assim como a saída do útero para a vagina, em um procedimento que durou cerca de 10 horas.

Após o transplante inédito e a boa aceitação do novo órgão na paciente, os médicos iniciaram o processo de transferência de embriões, com os óvulos da mulher e espermatozoides de seu marido.

“Fizemos a primeira tentativa, não houve sucesso, e na segunda tentativa foi confirmada a gravidez”, disse  o médico Edmund Chada Baracat, diretor de ginecologia do HC.

transplante

transplante

O procedimento foi bem-sucedido e teve início a gestação. Segundo a equipe médica, a gravidez foi saudável desde o início e todos os exames apresentaram resultados normais.

Nove casos de bebês nascidos de úteros transplantados já foram registrados: um nos USA e oito na Suécia. A diferença é que, enquanto nestes casos as doadoras estavam vivas, no procedimento realizado no HC a pessoa que forneceu o órgão já tinha morrido.

medicos

medicos

Equipe de ótimos médicos.. Merecem todo nosso respeito. Parabéns.

O transplante de útero é uma cirurgia nova e ainda muito rara. A técnica começou a ser testada em humanos em 2012 e, dois anos depois, na Suécia, foi realizado o primeiro parto de uma criança gerada em útero transplantado.

foto-de-bebe-para-ilustrar-materia

Na maioria dos procedimentos realizados no mundo, a transferência foi feita de uma pessoa viva que resolveu doar o próprio útero para uma mulher que queria engravidar. Mesmo nestes casos, concluir a gestação era muito difícil, porque além da possibilidade de rejeição do órgão, na cirurgia o útero sofre alterações que podem comprometer seu funcionamento.

bebe nascimento

bebe nascimento

“Esse órgão requer mais cuidados tanto pela fragilidade vascular quanto anatômica. Embora seja uma cesariana com técnica tradicional, um procedimento assim, sem dúvida alguma, pede muita cautela”, explica Maurício Chehin, especialista em reprodução humana.

Pela primeira vez na História, porém, uma mulher que recebeu o útero de uma doadora com morte cerebral conseguiu avançar na gestação e dar à luz um bebê.

O transplante aconteceu no ano passado. Meses depois, foi feita a inseminação artificial. O feito é uma conquista da equipe de ginecologia do Hospital das Clínicas em colaboração com o grupo de transplante hepático da USP.

“O transplante uterino foi feito poucas vezes no mundo; isso mostra que o Brasil, em termos de medicina reprodutiva, está à frente ou andando junto

útero transplantado

útero transplantado

 

 

Comentários

Comentários

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *